• EN
  • Ajuda Contextual
  • Imprimir
  • LinkedIn
  • Facebook
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > LTU5225

Guias, Acessibilidades e Itinerários

Código: LTU5225    Sigla: GAI

Ocorrência: 2020/21 - 2S

Área de Ensino: Turismo

Cursos

Sigla Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
LTU Aviso n.º 14344/2020, de 18 de setembro 6 ECTS 45 160

Horas Efetivamente Lecionadas

LTU2

Teórico-Práticas: 45,00
Outro: 0,00

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 3,00
Outro: 0,80

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

Resumo descritivo da unidade curricular
Esta unidade curricular visa dotar os alunos de conhecimentos na área das acessibilidades, nas suas diversas vertentes, e dos itinerários turísticos, desenvolvendo competências técnicas e comportamentais relacionadas com as temáticas abordadas.
Com esta Unidade Curricular pretende-se preparar o aluno com um corpo de conhecimentos que facilitem a compreensão inerente à elaboração de itinerários, circuitos e rotas turísticas, bem como o reconhecimento da importância das acessibilidades no turismo. 

Objetivos e resultados esperados da aprendizagem
1. Conhecer a terminologia técnica de acessibilidades;
2. Compreender a importância da acessibilidade no turismo;
3. Conhecer o enquadramento político e normativo do turismo acessível;
4. Reconhecer os constrangimentos e barreiras e as caraterísticas e necessidades dos clientes;
5. Estudar e definir estratégias de acessibilidade e boas práticas;
6. Identificar a terminologia técnica de itinerários turísticos;
7. Conhecer as diferentes tipologias de itinerários turísticos;
8. Organizar circuitos, itinerários e rotas turísticas;
9. Aplicar técnicas de conceção e implementação de itinerários.
10. Conhecer as funções inerentes ao guia intérprete;
11. Desenvolver competências técnicas e comportamentais para o desempenho da função;
12. Dominar técnicas para resolução de conflitos e problemas.

Competências a desenvolver
- Assimilar a terminologia e linguagem técnica utilizada nas acessibilidades e nos itinerários turísticos;
- Adquirir conhecimentos teóricos que permitam compreender a importância das acessibilidades para o desenvolvimento do setor do turismo;
- Sensibilizar os alunos para a importância de minimizar os constrangimentos sentidos pelos grupos com necessidades especiais;
- Motivar os alunos para as temáticas da disciplina e fornecer o conhecimento, os métodos e os instrumentos necessários que lhes permitam obter uma visão global das acessibilidades nas suas diferentes vertentes;
- Adotar uma visão geral do que são ¿necessidades especiais¿ neste segmento da procura turística, e quais os requisitos específicos da oferta turística para a elas poderem responder e das atitudes requeridas para um relacionamento pessoal adequado com estes clientes;
- Adquirir domínio dos principais conceitos sobre Itinerários Turísticos;
- Compreender o Planeamento e conceção de itinerários turísticos;
- Identificar as várias Rotas Temáticas e a Territorialização do Turismo;
- Saber encarar os desafios e problemas com que os profissionais do setor se deparam.

Programa

1. Acessibilidades e turismo
1.1. Terminologia técnica
1.2. Turismo acessível
1.3. Enquadramento político e normativo
1.1.3. O cliente com necessidades especiais: características, necessidades, requisitos da oferta e acessibilidades, práticas de serviço
1.4. Constrangimentos e barreiras 
1.5. Estratégias de acessibilidade 
1.6. Boas práticas de acessibilidade

2. Itinerários turísticos
2.1. Contextualização histórica
2.2. Definições e terminologias
2.3. Tipologias de itinerários
2.4. Organização de itinerários
2.4.1. Técnicas de conceção
2.4.2. Tendências gerais de elaboração de itinerários

3. Profissão de guia: evolução e contextualização histórica
3.1. Áreas de atuação
3.2. Mercados

4. Funções e competências
4.1. Técnicas comportamentais
4.2. Acolhimento, comunicação e atendimento
4.3. Procedimentos 

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos da UC

O programa proposto permite que os alunos adquiram os conhecimentos e desenvolvam as competências previstas nos objetivos na medida em que:
O programa proposto permite que os alunos ganhem os conhecimentos e desenvolvam as competências previstas nos objetivos, na medida em que:
- o tema 1 dá resposta aos objetivos 1, 2, 3, 4 e 5, ao apresentar a terminologia, problemática e necessidades das acessibilidades em turismo;
- o tema 2 permite alcançar os objetivos 6, 7,8 e 9, enquadrando e caracterizando as suas tipologias, conceptualização e operacionalização.
- o tema 3 dá resposta ao objetivo 10, enquadrando a profissão de guia:
- o tema 4 vai ao encontro do objetivo 11, apresentando técnicas essenciais para a função;
- o tema 5 dá resposta ao objetivo 12, no que se refere a dotar os alunos de conhecimentos e competências na gestão das reclamações e conflitos. 

Bibliografia Principal

Bernardo, C. Pashkevich, a.; Wagner, J. ;Improving the performance of cultural tourism attractions: Tour Guides experiences at the World Heritage site in Falun, Sweden, In E-Cul-Tours open Source textbook. Werner Gronau. , 2019
Leal, N.F. B da C.;Turismo Acessível: A importância da formação na alteração das atitudes, Universidade de Aveiro, 2018

Bibliografia Complementar

Devile, E. L. ;Turismo acessívelTurismo acessível, In F. Silva & J. Umbelino (Eds.), Planeamento e desenvolvimento turístico (pp. 63¿78). Lisboa: LIDEL. pp .228- 235., 2017
Valente, T. I. ;O turismo acessível como vetor para o desenvolvimento social, Iditur - Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo. , 2017
Ambrose, A. Garcia, K. Papamichail and C. Veitch;Manual de Gestão de Destinos Turísticos Acessíveis, Turismo de Portugal. ENAT., 2017

Métodos de Ensino

Os conteúdos serão apresentados em aulas expositivas dinâmicas, onde se pretende uma forte participação dos alunos, de forma a promover a comunicação, reflexão e discussão de ideias nas diferentes temáticas. Para tal, serão apresentados exercícios, casos de estudo, vídeos ilustrativos e demais materiais multimédia de suporte. Serão promovidas sessões de natureza técnica/prática (em sala e via plataforma e-learning), sessões de apresentação e discussão de trabalhos.



Modo de Avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação e Ocupação registadas

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Participação presencial (estimativa)  Aulas  45
Outras  Projectos  12
Avaliação  Teste/Exame  3
Estudo autónomo  Estudo  100
  Total: 160

Avaliação Contínua

- 2 Testes escritos individuais: 2X35%

- 1 Trabalho e-learning: 30%


Nos termos do Regulamento da Licenciatura:

1. A presença efetiva dos estudantes nas aulas será objeto de registo e, caso o número de faltas por estudante exceda 30% do número total de sessões de contacto previstas para cada unidade curricular, será automaticamente transferido para a avaliação final da época normal.
2. Nos testes escritos e nos elementos de avaliação definidos é necessária a obtenção de uma nota mínima de 7,5 (sete vírgula cinco) valores.
3. Caso o estudante falte ou obtenha uma classificação inferior a 7,5 valores nos testes ou nos elementos de avaliação referidos no número anterior, será automaticamente transferido para a avaliação final da época normal.
4. Caso o estudante falte ou obtenha uma classificação inferior a 7,5 valores no segundo teste escrito (realizado na mesma data da prova escrita final da época normal) poderá requerer inscrição para avaliação na época de recurso.
5. Todos os trabalhos académicos escritos previstos na avaliação (relatórios, estudos de caso, etc.) terão de ser submetidos na base de dados Turnitin, disponível na plataforma E-Learning do ISAG, sendo aceitável uma taxa de similaridade até 30%.

Avaliação Final

Prova escrita individual: 100%

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

As metodologias consideradas têm em consideração as características da unidade curricular. Apesar de um caráter teórico, o recurso a casos de estudo e outros materiais de suporte, visam contribuir para o alcance dos objetivos da unidade curricular, de um ponto de vista aplicado ou prático.