• EN
  • Ajuda Contextual
  • Imprimir
  • LinkedIn
  • Facebook
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > LTU1319

Recursos e Produtos Turísticos

Código: LTU1319    Sigla: RPT

Ocorrência: 2019/20 - 1S

Área de Ensino: Turismo

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
LTU 1 Desp. n.º 357/2008 (alterado aviso n.º9855/2012) 6 ECTS 54 160

Horas Efetivamente Lecionadas

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 3,00
Seminário: 0,20
Outro: 0,40

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 3,00
Maria Carmen Pardo Lopez   3,00
Seminário Totais 1 0,20
Maria Carmen Pardo Lopez   0,20
Outro Totais 1 0,40
Maria Carmen Pardo Lopez   0,40

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Maria Carmen Pardo Lopez Regente

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

Resumo Descritivo da Unidade Curricular
A unidade curricular pretende dotar os alunos de conhecimentos no âmbito da criação de produtos e experiências turísticas, a partir do desenvolvimento de competências no domínio da criatividade e inovação, num momento em que os novos turistas procuram cada vez mais produtos e experiências autênticas. Assim, serão estudados o turismo criativo e de experiências em particular, recorrendo a casos de estudo, para além de um convite a atividades práticas de criatividade aplicada ao turismo.

Objetivos e resultados esperados na aprendizagem

1. Conhecer a evolução do conceito de criatividade
2. Conhecer o fundamento da economia criativa e de experiências
3. Reconhecer a importância das indústrias culturais, criativas no turismo e criatividade nas organizações
4. Conhecer quem cria produto turístico no mercado
5. Conhecer abordagens publicas para o desenvolimento de recursos, produtos e experiências no turismo
6. Conhecer e aplicar o processo de criação de produtos e experiências turísticas desde o sector privado
7. Analisar e discutir exemplos práticos


Competências a desenvolver
Pretende-se que os alunos desenvolvam as seguintes competências:

1. Adquirir conhecimentos teóricos que permitam o domínio de conceitos e temáticas fundamentais no domínio da criação de produtos e experiências turísticas
2. Estimular a capacidade de observação, análise e sentido crítico na aplicação de conceitos técnicos da área do turismo, bem como de situações e contextos da atividade
3. Sensibilizar os alunos para a importância da atividade turística, da vivência/experiência turística e da responsabilidade dos profissionais do turismo nestes domínios
4. Fomentar competências pessoais e comportamentais ao nível da criatividade, trabalho de equipa, liderança, responsabilidade, motivação e autonomia para o sucesso
5. Desenvolver o gosto pela investigação em turismo

Programa

1. Contexto social, económico, político e empresarial do turismo que condicionam o sucesso de novos produtos e experiências
1.1. Criatividade: Evolução e definição
1.2. Economia criativa; Indústrias culturais e criativas
1.4. Criatividade nas organizações. O intra-empreendedorismo

2. Criatividade em turismo Vs Criação de produto turístico
2.1. Criação de produto desde o sector público vs sector privado

3. Gestão pública de recursos, produtos e experiências turísticas.
3.1. Analise do potencial turístico do território
3.2. Desenvolvimento de produtos, recursos e experiências desde as administrações públicas
3.3. Marketing de destinos
3.4. Estudo de casos

4. Desenvolvimento de recursos e experiências turísticas desde o sector privado
4.1 Fases do desenvolvimento do produto turístico
4.2 Estudo de viabilidade
4.3 Implementação
4.4 Comercialização

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos da UC

O programa proposto permite que os alunos ganhem os conhecimentos e desenvolvam as competências previstas nos objetivos, na medida em que:
- O tema 1 dá resposta aos objetivos 1, 2 e 3 , explorando os conceitos e temáticas da criação e criatividade.
- O tema 2 vai ao encontro do objetivo 4, que pretende entender os diferentes agentes que podem criar produto turístico .
- O tema 3 dá resposta ao objetivo 5, que se dedica a explorar o desenvolvimento de recursos produtos e experiências turísticas desde o sector público.
- O tema 4 dá resposta ao objetivo 6, que percorre todo o processo de criação de produto ou experiência turística 

Bibliografia Principal

Netto, A. & Gaeta, C.;Turismo de experiências, Senac, 2011
Morgan, M.; Lugosi, P. & Brent Richie, J. (Eds) ;The tourism and leisure experience: consumer and managerial perspectives, Channel View Publications, 2010

Bibliografia Complementar

Filipe, C.;Andanças do turismo criativo, Universidade de Aveiro, 2009
Moscardo, G.;Understanding Tourist Experience through mindfullness theoryIn Kozak, M. & Decrop, A. (Eds.)Handbook of tourist behavior: theory and practice, Routledge, 2008
Sun Tung, V. & Ritchie, J.;exploring the essence of memorable tourism experiences, Annals of tourism research, 38 (4), 2011
Hudson, S. & Ritchie, J.B.;Branding a memorable destination experience. The case of "Brand Canada", International Journal of Tourism Research, 2009
Morgan, M., Elbe, J. & de Esteban Curiel, J.;;Has the experience economy arrived yet? The views of destination managers, International Journal of Tourism Research. 11: 201-216, 2009
Morgan, M., Lugosi, P. & Ritchie, J.R.B. (eds);The Tourism and Leisure Experience: Consumer and Managerial Perspectives, Channel View Publications, 2010
Ryan, C. ;;Tourism experience: A review of the literature, 2010
Schmitt, B.H;;Customer Experience Management: A Revolutionary Approach to Connecting with your Customers, John Wiley, 2003
Uriely, N.;;The tourist experience: Conceptual developments, Annals of Tourism Research 32: 199-216, 2005
Ferreira, D.;Processos criativos: a relação entre criatividade e criação, Universidade Europeia , 2017
Pinto, A.;;Produtos turísticos- instrumentos de desenvolvimento local. Caso de estudo-Sardoal, Instituto Politécnico de Tomar, 2013

Métodos de Ensino

Os conteúdos serão apresentados em aulas expositivas dinâmicas, onde se pretende uma forte participação dos alunos, de forma a promover a comunicação, reflexão e discussão de ideias nas diferentes temáticas. Para tal, serão apresentados exercícios, casos de estudo, vídeos ilustrativos e demais material multimédia de suporte. Serão promovidas sessões de natureza técnica/prática (em sala e via plataforma e-learning), sessões de apresentação e discussão de trabalhos.


Modo de Avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação e Ocupação registadas

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Participação presencial (estimativa)  Aulas  30
Outras  Participação Presencial  6
Avaliação  Teste/Exame  3
Estudo Autónomo  Estudo  68
  Total: 107

Avaliação Contínua

2 Testes escritos 2 x 35%
2 trabalho e-learning: 20%
1 apresentação: 10%

De acordo com o Regulamento:

1. A presença efetiva dos estudantes nas aulas será objeto de registo e, caso o número de faltas por estudante exceda 30% do número total de sessões de contacto previstas para cada unidade curricular, será automaticamente transferido para a avaliação final da época normal.
2. Nos testes escritos e nos elementos de avaliação referidos é necessária a obtenção de uma nota mínima de 7,5 (sete vírgula cinco) valores.
3. Caso o estudante falte ou obtenha uma classificação inferior a 7,5 valores nos testes ou nos elementos de avaliação referidos no número anterior, será automaticamente transferido para a avaliação final da época normal.
4. Caso o estudante falte ou obtenha uma classificação inferior a 7,5 valores no segundo teste escrito (realizado na mesma data da prova escrita final da época normal) poderá requerer inscrição para avaliação na época de recurso.
5. Todos os trabalhos académicos escritos previstos na avaliação (relatórios, estudos de caso, etc.) terão de ser submetidos na base de dados Turnitin, disponível na plataforma E-Learning do ISAG, sendo aceitável uma taxa de similaridade até 30%.

Avaliação Final

Elementos de avaliação final

Prova escrita individual: 100%

Nos termos do Regulamento:
O(s) trabalhos(s) práticos ou teórico-práticos referidos poderão ser considerados, com uma ponderação correspondente a metade da considerada no âmbito da avaliação contínua, desde que o aluno comunique tal intenção ao docente através do preenchimento de impresso próprio a ser disponibilizado pelo docente no momento da realização da prova escrita.

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

As metodologias consideradas têm em consideração as características da unidade curricular. Apesar de um caráter teórico, o recurso a casos de estudo e outros materiais de suporte, visam contribuir para o alcance dos objetivos da unidade curricular, de um ponto de vista aplicado ou prático.