• EN
  • Ajuda Contextual
  • LinkedIn
  • Facebook
Você está em: Início > Cursos > Unidades Curriculares > DPT207

História da Arte, Etnografia e Património

Código: DPT207    Sigla: HAEP

Ocorrência: 2019/20 - 2S

Área de Ensino: História

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
CTSPDP 23 Aviso n.º 13031/2018_Novo Plano 6 45 160

Horas Efetivamente Lecionadas

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 3,00

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 3,00
Joel Alves Cerqueira Cleto   3,00

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Joel Alves Cerqueira Cleto Regente

Objectivos, Competências e Resultados de aprendizagem

Resumo descritivo da unidade curricular
O programa da unidade curricular de Arte e Património visa fornecer ao discente ferramentas fundamentais para a compreensão do(s) Património(s) e das manifestações artísticas ao longo da História. Visando tais objectivos, o programa começa com uma breve abordagem aos conceitos de Arte, Património, Memória e Identidade Cultural e à legislação internacional e nacional destinada à sua valorização e protecção e classificação, incluindo também os organismos responsáveis pela salvaguarda do Património. Seguidamente o programa aborda os diferentes tipos de Património (arqueológico, arquitectónico, etnográfico e imaterial...) produzidos ao longo do tempo à escala planetária, mas sublinhando de um modo mais destacado aquele que se encontra classificado e preservado no actual território português. Além dos exemplos apresentados e analisados pelo docente, os alunos apresentarão também "casos de estudo" resultantes dos seus trabalhos práticos.

Objetivos e resultados esperados da aprendizagem
- Entender a Arte o Património Cultural como testemunhos fundamentais de Identidade e Memória do Passado.
- Reconhecer a importância da salvaguarda do património cultural.
- Compreender a Arte e o Património Cultural como um produto turístico privilegiado.
- Apreender as diferentes classificações de Património e identificá-las no seu devido contexto.
- Reconhecer e enumerar as características específicas do património arqueológico, arquitectónico e etnográfico do território português.
- Enquadrar o Património Cultural no respectivo Tempo e Espaço.

Competências a desenvolver

No final da Unidade Curricular, os alunos deverão ser capazes de:
- Reconhecer que a salvaguarda do Património Nacional constitui um factor fundamental de desenvolvimento económico.
- Compreender o Turismo como uma potencial actividade promotora e zeladora da integridade física do Património.
- Aplicar os conhecimentos adquiridos num contexto interdisciplinar e em desafios futuros.

Programa

1. Identificação, valorização e protecção do Património
1.1. Definições de Património(s). Património histórico, arqueológico, etnográfico, arquitectónico, artístico, móvel, imóvel, imaterial, intangível...
1.2. Instituições e legislação portuguesa e internacional
1.3. Classificações. Património da Humanidade, Nacional, Imóvel de Interesse Público, Imóvel de Valor Concelhio. Os monumentos, sítios e conjuntos.
1.4 . Classificações. A Arte e o Património móvel
2. Arte e Património ao longo da História. A especificidade portuguesa.
2.1. Património e arte pré-histórica. O case study do Côa e do megalitismo
2.2 Património e arte proto-histórica. O case study dos castros e outras manifestações da Idade do Ferro
2.3 Património e arte romana. O case study de Tongóbriga, Conímbriga, Portus cale, Tróia...
2.4 Património e arte medieval. O românico (case study: a Rota do Românico), o gótico (case study: mosteiros góticos Batalha, Leça do Balio, S. Francisco do Porto, Alcobaça...). O "fenómeno" do manuelino.
2.5 Património e arte renascentista e maneirista. O case study do Museu de Arte Antiga e das Igreja da Misericórdia e dos Grilos (Porto)
2.6 Património e arte barroca. O case study de Mafra e das obras de Nasoni (Porto)
2.7 Património e arte neoclássica e dos revivalismos do século XIX. O case study de Sintra, Buçaco e Museu Nacional Soares dos Reis
2.8 Património e arte do século XX. O case study do neorealismo da escola do Porto, arquitetura de Siza Vieira e Museu de Serralves

Demonstração da Coerência dos Conteúdos Programáticos com os Objetivos da UC

O programa apresenta os conteúdos essenciais para alcançar os objetivos propostos na unidade curricular.

Bibliografia Principal

Estudos do património; Cardoso, J., Universidade aberta, 2005

Métodos de Ensino

A transmissão dos conhecimentos será motivada, em sala de aula, com o recurso sistemático a mapas, cronologias e imagens. As aulas terão também uma significativa componente "in situ", decorrendo no interior de monumentos alusivos ao tipo de património abordado. Tal facilitará a promoção da discussão e da análise crítica e uma maior intervenção e reflexão sobre os conteúdos estudados.
A participação dos discentes nas atividades da sala de aula é reforçada pela elaboração de pequenos trabalhos práticos a apresentar à turma sobre temas de estudo previamente definidos e acompanhados pelo docente. Procura-se, desta forma, estimular a troca de experiências e a resolução de dificuldades comuns.


Modo de Avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação e Ocupação registadas

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Participação presencial (estimativa)  Aulas  45
Avaliação  Teste/Exame  3
Estudo autónomo  Estudo  112
  Total: 160

Avaliação Contínua

Trabalho prático (com dois momentos de submissão e-learning): 30%.
Assiduidade: 10%
Testes escritos individuais: 2X 30%

De acordo com o Regulamento

1. A presença efetiva dos estudantes nas aulas será objeto de registo e, caso o número de faltas por estudante exceda 30% do número total de sessões de contacto previstas para cada unidade curricular, será automaticamente transferido para a avaliação final da época normal.
2. Nos testes escritos e nos elementos de avaliação referidos necessária a obtenção de uma nota mínima de 7,5 (sete vírgula cinco) valores.
3. Caso o estudante falte ou obtenha uma classificação inferior a 7,5 valores nos testes ou nos elementos de avaliação referidos no número anterior, será automaticamente transferido para a avaliação final da época normal.
4. Caso o estudante falte ou obtenha uma classificação inferior a 7,5 valores no segundo teste escrito (realizado na mesma data da prova escrita final da época normal) poderá requerer inscrição para avaliação na época de recurso.
5. Todos os trabalhos académicos escritos previstos na avaliação (relatórios, estudos de caso, etc.) terão de ser submetidos na base de dados Turnitin, disponível na plataforma E-Learning do ISAG, sendo aceitável uma taxa de similaridade até 30%.

Avaliação Final

Avaliação Final
Exame Final: 100%

Demonstração da Coerência das Metodologias de Ensino com os Objetivos de Aprendizagem da Unidade Curricular

As metodologias consideradas têm em consideração as características da unidade curricular. Apesar de um caráter teórico, o recurso a casos de estudo e outros materiais de suporte, visam contribuir para o alcance dos objetivos da unidade curricular, de um ponto de vista aplicado ou prático.